segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

A Maturidade Emocional e a Hermenêutica

A inclinação deste blog esta alicerçada em questões hermenêuticas, e reflexões sobre temas que coadunam com este presuposto. Mas, como elevar o grau maiêutico quando o emocional esta afetado, e a maturidade é interrompida. Adquirir um perfeito equilíbrio emocional é um objetivo constante na vida de todo aquele que caminha para o ministério junto a Deus. Para ter sucesso dentro de um ministério, é necessário que haja um equilíbrio em todas as áreas da vida: pessoal, profissional, familiar, social, e principalmente espiritual. É o que chamamos de qualidade de vida.
Talvez, o maior de todos os desafios, seja vencer os fracassos e traumas emocionais vivenciados no passado.
No livro "Cura para os traumas emocionais" o autor discorre uma série de passos que levarão as pessoas a construir uma vida emocional sadia, vencendo os traumas emocionais do passado, reconquistando o confiança em si próprio e preparando a pessoa para desenvolver um ministério sadio e proveitoso.
Alcançar a maturidade emocional dentro de um ministério cristão seria o ápice de um ministério bem sucedido, de um bom relacionamento com Deus e de um ótimo relacionamento consigo mesmo.
Vencer os traumas emocionais, ou seja, a derrota, os fracassos vivenciados no passado, é um desafio impossível de se conquistar, se não houvesse a intervenção de Deus Pai na nossa vida. Lembremo-nos também que Deus capacitou pessoas, para que, de alguma forma estejam ajudando outras pessoas.
Para se obter sucesso na área emocional, é necessário quebrar alguns “tabus”, que foram introduzidos na mente da pessoa a ponto de se tornarem uma verdade absoluta. Alguns traumas emocionais que nos circundam, é devido a uma má formação familiar, ensinamento errado dos pais, ou da própria igreja. Existem por exemplo algumas igrejas que ensinam assim: Toda depressão é maligna, vinda de Satanás que está na pessoa; estas igrejas não levam em conta o passado da pessoa e as suas limitações.
No livro cura para os traumas emocionais, o autor explica que o ser humano é uma pessoa, uma máquina que trabalha baseada no seu presente e principalmente estruturada pelo seu passado. Algumas situações ou circunstâncias que acontecem no dia a dia, nos fazem lembrar coisas ruins que ficaram no nosso passado, e acabam por refletir nas atitudes do presente.
Para vencer os traumas emocionais, para obter a cura interior é necessário primeiramente crer que Deus é poderoso para quebrar as correntes que prendem uma vida as experiências dolorosas do passado. Depois, é necessário com a ajuda de uma pessoa capacitada, encarar esses traumas e resolvê-los frente a frente, para que desta forma sejam definitivamente curados.
Se à auto-estima da pessoa estiver muito baixa, isto irá diretamente refletir no seu ministério. É necessário, portanto que a pessoa caminhe para cura destes traumas, a ponto de se ver livre deles, para que desta forma tenha uma qualidade de vida melhor, e conseqüentemente um ministério mais produtivo.
No livro "a estatura de um homem espiritual", o autor destaca as qualidades que um homem de Deus necessita ter para executar um bom ministério perante a presença de Deus e dos homens. Estas qualidades ou requisitos que o autor cita neste livro, embora sejam totalmente baseadas nos textos bíblicos, as pessoas não terá condições de alcançá-los, se não tiver uma vida emocional equilibrada. Quando uma pessoa se coloca à disposição de Deus para executar um ministério, ela necessita antes de tudo estar bem consigo mesma, confiando em si própria, e tendo uma auto-estima em dia, e é claro, estar em comunhão com o Pai, com seus líderes e com a igreja.
Veja, que tudo é um processo que muitas vezes poderá ser lento, no entanto, poderá ser realizado pela pessoa que se dispõe a reconhecer que necessita de uma ajuda profissional. Ora, é claro que Deus é supremo em todas as coisas, e é óbvio que Ele é poderoso para curar todos os traumas, mas não podemos nos esquecer também que Ele, o próprio Deus capacitou o homem aqui na terra para o ajudarem em determinadas áreas.
A estatura de um homem espiritual é a estatura do homem que a Bíblia declara, e existem na Bíblia vinte requisitos que Deus exige para que um homem alcance a estatura de um homem espiritual: Irrepreensível, esposo de uma só mulher, temperante, sóbrio, modesto, hospitaleiro, apto para ensinar, não dado ao vinho, não arrogante, não irascível, não violento, inimigo de contendas, cordato, não avarento, que governe bem a sua própria casa, tenha bom testemunho dos de fora, amigo do bem, justo, piedoso e que não seja neófito.
Todos esses requisitos, ou qualidades destacadas pela Bíblia só poderão se tornar realidade dentro de um ministério, a partir do momento que a pessoa seja curada dos seus traumas emocionais, dos seus traumas interiores.
Liderar um ministério, ou o liderar um grupo de pessoas, é um trabalho separado para um homem que permanece nos mandamentos de Deus. No livro "o estilo de liderança de Jesus", o autor destaca algumas das virtudes que o nosso Senhor Jesus usava para liderar o seu grupo.
Iremos notar, se analisarmos bem os evangelhos, que Jesus exercia uma liderança dotada de autoridade e determinação, nunca fora necessário na liderança de Jesus, gritar com seus discípulos ou apóstolos, nunca fora necessário colocá-los de castigo, ou excluí-los do meio da sua convivência.
O estilo de liderança de Jesus era o estilo de liderança que somente um homem com a estatura de um homem espiritual poderia tê-las. Embora Jesus obtivesse totalmente os requisitos que um homem de Deus necessitasse ter para cumprir o seu ministério perante o Pai.
Desenvolver as boas qualidades de um bom líder requer, antes de tudo, uma profunda intimidade com as Escrituras Sagradas. É necessário que o homem de Deus conheça antes de tudo, quem é o seu Deus e aquilo que Ele deseja homem a respeito do ministério. O Senhor Jesus tinha um equilíbrio emocional, apesar de todas as circunstâncias, apesar de ser ridicularizado por muitas vezes, embora não fosse querido em algumas de suas curas, apesar de ser até mesmo abandonado pelos seus melhores amigos no momento mais difícil de sua vida terrena, ele não perdeu a “estatura de um homem espiritual”.
Para executar o serviço do Senhor é necessário ter coragem para enfrentar qualquer batalha de liderança, e daí porque se torna indispensável que a pessoa que almeja o ministério cristão tem que estar disponível para conquistar o equilíbrio emocional na sua vida.
A pessoa que se propõe a trabalhar para Deus poderá passar por situações dentro da igreja onde os membros estarão sofrendo de uma ou de outra maneira. Eles têm problemas reais e urgentes. Tem interrogações, perguntas, que parecem difíceis de responder. Nesta hora o ensino ou sermão apresentado, terá que mostrar respostas às necessidades deles, falando aos seus problemas, confortando os seus corações.
No livro "Pregando sobre os problemas da vida" o autor relata que o líder ministerial terá de ter um preparo não somente bíblico, mas também emocional para poder satisfazer as necessidades dos seus membros, usando do poder da Palavra de Deus e do seu preparo ministerial. Para falar sobre os problemas da vida e principalmente sobre a solução desses problemas, não basta apenas citar alguns versículos bíblicos, ou usar certos chavões, do tipo: “Jesus te ama”. É necessário muito mais que isso, se faz mister, que o obreiro tenha passado sim, por muitos problemas emocionais em sua vida, mas, que obteve a cura emocional dos seus traumas de forma que assim esteja apto para ensinar os seus membros ou seus alunos a livrar-se de um destes problemas.
A vida de uma pessoa não é formada de uma teoria, mas de experiências reais, de problemas reais, que exigem soluções reais e imediatas. O líder cristão deve ser totalmente livre e estar lutando para se tornar livre dos seus traumas emocionais.
Não se pode viver além daquilo que se acredita. No capítulo sete do livro "Vitória sobre a escuridão", o autor começa dizendo que o líder cristão terá o seu sucesso mediante aquilo que ele acredita. Veja, o Senhor Jesus através da sua palavra nos ensinou que, se tivermos fé, mandaremos um monte sair do seu lugar e eles sairão, tudo então passa a ser espiritual, se eu creio que posso, então certamente farei.
É necessária, que o líder cristão reconheça o poder da sua identidade em Cristo, esta é a promessa de Jesus para o homem, a promessa de que hoje se viverá gloriosamente. Mas, o que tem te impedido de realmente caminhar na alegria do Senhor? Muitas das vezes o líder cristão tem um bom conhecimento da Palavra de Deus, e uma vida de oração aceitável, em comunhão com o corpo de Cristo, mas, alguma coisa ainda parece errada para que ele atinja a estatura de um homem espiritual.
Se algum homem de Deus tem passado por uma situação semelhante a esta, podemos então seguramente afirmar que existe algo em sua mente que necessita mudar. Usando de um tratamento adequado, sua vida ministerial será totalmente transformada, e sua vida pessoal será curada dos traumas emocionais que ficaram no passado.
É necessário dizer e até alertar que não há para onde fugir, quando se tem problemas emocionais. A única solução é encararmos o problema, se possível, com a ajuda de um especialista, e crendo no poder do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, que pode todas as coisas.
O aconselhamento cristão procura ajudar as pessoas a enfrentarem o presente, resolvendo os conflitos do passado.
Naturalmente, muitas são as pessoas que passam por este tipo de problema, isto podemos dizer em relação a todas as pessoas que habitam neste planeta. Porém estamos dirigindo este assunto diretamente aos cristãos, principalmente aqueles que já desenvolvem um ministério dentro da igreja.
Precisamos antes de tudo, entendermos algumas coisas que esquecemos quando nos tornamos crentes ao Senhor Jesus: Continuamos a sermos pessoas; seres humanos imperfeitos, falhos e pecadores. Caminhamos para a estatura de varão perfeito? Sim. Somos perfeitos? Não. Portanto, lembremo-nos do apostolo Paulo, que em certo momento do seu ministério parou e observou (talvez levado por uma profunda tristeza) que tudo aquilo que ele mais queria fazer ou realizar, ele não estava conseguindo, aquilo, no entanto que ele mais detestava, ele fazia. Veja então, Paulo foi um homem de Deus admirável, que até os dias de hoje tem nos ensinado tantas coisas através das suas cartas, mas que também errava a ponto de perturbá-lo tanto, que mencionou isto em uma de suas cartas.
No final do seu lamento, O apostolo Paulo nos dá o alivio da solução para o seu e o nosso problema, “A misericórdia do Senhor Jesus”. Seja qual for o problema emocional, Jesus pode curar todas as feridas. Com o emocional equilibrado haverá maturidade, e a hermenêutica certamente prosperará.

Nenhum comentário:

Postar um comentário