sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

O Que Faz da Bíblia um Livro Tão Único?

No desenvolvimento da intelectualidade, obras literárias magníficas, ou nem tanto, tem sido alvo dos especialistas, os assuntos são dinâmicos e muitas vezes contagiantes. Não obstante a isso, a Bíblia continua sendo e sempre será a única comunicação escrita de Deus com o homem, é uma obra prima e visivelmente única. De uma forma miraculosa e surpreendente, Deus inspirou homens (mais de quarenta autores) a escreverem a sua mensagem de uma forma precisa e coesa (por volta de hum mil e quinhentos anos), revelando ao mundo de uma maneira progressiva e paulatina toda a doce, sublime e agradável vontade de Deus para o homem. A Bíblia é a carta de amor pessoal de Deus para a sua criação, é a maior expressão de amor e carinho do Pai, é inefavelmente constrangedor este amor, expressão que só poderia vir de Deus.
É mister considerá-la de alguma forma menos do que se considera uma carta de pessoas que muito se preza, ou até mesmo quem se ama? Todas as respostas as perguntas mais profundas da alma humana, estão intrinsícadas na santa palavra de Deus. Aquele que é contemplado a desvendar a Bíblia como uma carta de amor pessoal do seu Criador e também Salvador aprenderá muito no deleite destas páginas sagradas. A Bíblia é completamente merecedora de confiança, porque não é obra de mãos humanas. Este livro faz afirmações e predições fantásticas, suas histórias e ensinamentos se comprovam a cada dia e ela continua merecedora de confiança, porque é o livro que nos dá conhecer a Deus. A Escritura não pode ser anulada (João 10: 35). A palavra absoluta do Deus absoluto é autoridade absoluta para o homem que anseia um encontro. Se Deus não é merecedor de confiança, se a sua palavra é duvidosa, então, não nos resta mais nada. A Bíblia não é um livro de fábulas artificialmente composto, mas, uma firmíssima palavra de profetas (2Ped. 1: 16, 19), nenhum outro livro goza de tal distinção, a Bíblia é única. A Bíblia é inesgotável. A Bíblia é como uma mina de tesouros, infinitamente profunda, esta sempre convidando as pessoas para mais um desafio de observação, interpretação, correlação e aplicação. Esta foi à reflexão de Santo Agostinho ao escrever ao seu filho em 412 d.C.
“Tal é a profundidade das Escrituras cristãs, que mesmo que eu estivesse a tentar estudá-las, e mais nada, desde a tenra meninice até á velhice decrépita, com o maior vagar, com o mais incansável zelo e talentos maiores que os que possuo, estaria ainda diariamente a fazer progressos na descoberta dos seus tesouros”.
A Bíblia é uma fonte de conhecimento inesgotável, ela se renova a cada página virada, porque ela fala de verdades infinitas, eternas e misteriosas, que não são complemente captadas pelas mentes finitas e corrompidas, mas, que recebem a iluminação do Santo Espírito para abrir o entendimento do homem. Moody disse: “Os homens que melhor conhecem a Bíblia acham-na sempre nova”. Leia e se apaixone pela Bíblia, ela é apologeticamente única.

Um comentário:

  1. Boa explanação e uma óptica interessante de se ver a Bíblia: uma carta de amor de Deus para nós.

    Abraço

    ResponderExcluir