sexta-feira, 27 de março de 2009

Graça Geral

O texto bíblico de Romanos 3:23, declara que os homens cairam para bem longe de Deus, de tal modo que bastaria isso para amortecer neles qualquer propensão que tenham para retornar ao Senhor. Não obstante, tendo sido criados à imagem de Deus, retêm o bastante dessa imagem para que Deus lhes possa insuflar novamente o interesse pelo Senhor, quer dizer: “Há esperança para a árvore”. Outrossim, há uma graça geral, dada na cruz, que confere a todos os homens a capacidade de buscarem a Deus, em fé, se assim quiserem fazê-lo. Se Deus se apresentou diante de todos os homens, na cruz; ele fez tudo quanto é necessário para que todos os homens possam crer, se assim quiserem fazê-lo; Deus criou o homem com total possibilidade de liberdade, que ele pode decidir-se por ela, quer dizer, Cristo. Portanto, a chamada divina ao arrependimento não é um escárnio, não é feita em vão, é propósito de Deus, é “graça geral”

É verdade que alguns trechos bíblicos, como Romanos 3:10 ss, mostram que o homem é totalmente impotente, jamais se interessando por si mesmo a inquirir por Deus; mas a cruz de Cristo lhe desperta o interesse, capacitando-o a buscar a Deus, porquanto até mesmo na alma do indivíduo mais depravado há alguma espécie de desejo de libertar-se da alienação que a queda no pecado nos tem imposto. E todos os sistemas éticos são prova disso, sem importar se tais sistemas são religiosamente orientados ou não. Ainda que falte a orientação religiosa, fica a questão moral, que segundo Decartes “é a impressão de Deus no homem”.

O homem sabe que não é o que deveria ser (Romanos 7: 14-25), e demonstra algum anelo, por mais débil que seja, de melhorar sua situação espiritual. Mas o Espírito Santo, que está no mundo, exerce influência sobre todos os homens, não apenas sobre os crentes. Por esta razão, todos os homens podem buscar a Deus e encontrá-lo, por intermédio de Jesus Cristo, se assim quiserem fazê-lo, o convencimento do pecado portanto, caberá ao Espírito Santo. Todos estão a merce desta “graça geral”, e louvado seja o nome do Senhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário