quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

A Interpretação e a Hermenêutica

Há não pouco tempo compartilhei neste blog, um artigo sobre o papel do hermeneuta. Não obstante, percebo a dificuldade da correta compreensão sobre este relevante entendimento, quer dizer, o hermeneuta não é intérprete.

É verdade que quando falamos da hermenêutica, falamos sobre a correta interpretação do texto bíblico, mas distante disso, esta o pseudo fato de que alguém, ainda que hermeneuta seja intérprete das Escrituras.

Quando postei o artigo "O papel do hermeneuta", pergunta bem freqüente aos meus alunos durante todo o curso de hermenêutica I e II, e para alguns desafortunados, que com grandes dores me suportaram em hermenêutica III, intencionei tirar as freqüentes e insistentes dúvidas sobre esta questão. Verdade seja dita, sem sucesso em muitos casos, verdade maior ainda, se é que ela existe, na grande maioria deles.

O chamado hermeneuta não tem autoridade moral e/ou espiritual para interpretar aquilo que somente o que é Santo, digo Santo dos santos, poderia registrar através da sua onipotência e perfeição. Como seria possível o profano, ainda que santo, interpretar Aquele que é sobre tudo? Soberba desnecessária.

O texto bíblico não pode ser interpretado por nenhum homem, insisto, ainda que hermeneuta, porque o texto já esta revelado. O Santo Espírito, já registrou nas Escrituras com desdenho interpretativo, aquilo que o único Deus pretendeu revelar aos homens.

Não há nas Santas Escrituras o que interpretar, visto que ela já esta interpretada. O que nos resta, e daí a ajuda da hermenêutica, é entender a interpretação, quer dizer, o texto bíblico. Aquilo que se torna uma nova revelação para alguns, já esta interpretado há milhares de anos para todos. O equivoco não esta na interpretação, mas no anseio egocêntrico, que envolve pensadores a equivocamente aceitar o título de intérprete.

É motivo de estranheza, quando alguém me pede para explicar melhor os estudos postados neste blog, ou de ir mais fundo, mais fundo que a Palavra? Ora! Caso eu explicasse o estudo, este blog não seria hermenêutico, e certamente eu cairia no erro dos soberbos. Se analisando de maneira criteriosa o texto, o leitor não entendeu o sentido original do texto, falta-lhe a aplicação das regras e fundamentos da hermenêutica para uma melhor compreensão, o que de bom grado, registrei neste blog.

Não há intenção alguma de me tornar o novo "guru" da hermenêutica, embora saiba que este é o desejo de alguns, prefiro antes disso, apresentar as ferramentas da hermenêutica e deixar o leitor a vontade para buscar no texto, a compreensão da revelação correta, originada da Bíblia, e não de bocas e dedos enganosos. Somente o texto bíblico é confiável. Amém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário