quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Hoje Briguei Com os Céus

Melhor é declinar a favor de nós mesmos. A favor da verdade somente a verdade, e é melhor reconhecer diante da iminente derrocada. Melhor seria se as falácias ocultas fossem abolidas pelo novo, mas como florescer o novo quando o velho luta absurdamente para sair. Somente pela graça do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A Ele toda honra e glória.

Reclamei contra os céus, discuti contra ele e o julguei, proclamei minhas necessidades e acusei sua rebeldia, tudo em nome de mim mesmo. Na verdade, o conhecimento, seja pouco ou muito, não releva nada na insanidade temporal. De nada servem, não obstante maior declínio é, pois não podemos alegar ignorância, e somos julgados por nós mesmos.

Apontei as falhas dos céus e o denunciei para todos os que me ouviam, ou seja, eu mesmo. Minha covardia e insanidade não se inspiram de coragem, nem de ousadia. Irritei-me e desabafei, ainda que a consciência ou subconsciência, nem sei bem, discorriam o filme dos fatos. Entrei em derrocada como que em loucura e pequei. Num momento finalmente de lucidez, me defrontei com minha patética cena e reconheci como fui estúpido.

À noite recebi uma visita inusitada, alguém que sem ter idéia dos fatos me elevou a problemática solitária e constante. Então chorei. Não fui capaz de lacrimejar, mas chorei muito e após, orei ao Senhor. Não tenho certeza de muita coisa, apenas que de repente, tem ainda gente que vale a pena, gente que luta, que sofre e que não recebe respeito algum. Lembrei de Cristo, e vou a cada dia entendendo melhor, porque Ele andou com os pobres, pecadores e discriminados. Que um dia estejamos vivendo verdadeiramente em paz.





quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Importa que “Eu” Cresça


Recentemente tomei uma atitude que me encheu de grande alegria, juntei todos os meus diplomas, títulos e placas de homenagem, embalei-os com grande desdenho e depositei em uma mala, que esta muito bem guardada, e com regozijo afirmo sem receio: Estou liberto da caverna.

Agregada à minha decisão ajustei-me a não usar qualquer título antes do meu nome, e exaustivamente, tenho tentado fazer com que aqueles que convivem comigo e as novas amizades entendam, melhor ainda se finalmente forem concebidos e como que se expulsos, saiam definitivamente da caverna e se adaptem as regras do novo Reino.

Doutor, pastor, professor, entre outros, são títulos secundários e nas palavras do apóstolo Paulo “as considero como esterco”. Não obstante, nem mesmo o nome que carregamos viverá conosco, pois foram escolhidos por homens e perecerá. 

João Batista deixou um legado eterno numa frase imortal aos ouvidos espirituais: “Importa que Ele cresça e eu diminua”. Reflita com a Bíblia. Haverá permissividade para que Cristo cresça com tantos títulos honoráveis? Quando certo cristão recebe o chamado convocatório de Deus para o ministério pastoral, convém que ele diminua, caso contrário, o chamado recebido não é de Deus. Inflado numa derrocada metafísica, perece do mau e doente não enxerga sua própria estultícia e declínio.

Analise a Bíblia quando o Senhor Jesus afirma que aquele que deseja ser o primeiro, deve ser o último. Como poderá ser último se exige que o título esteja à frente do seu nome? Esta condição o coloca acima dos demais, carece de ser e estar como favorito, o que jamais o fará ser último, digo, primeiro. Decorar a Santa Palavra, não significa compreendê-la, haja vista os fariseus, refiro-me aqui aos contemporâneos.

Paradoxalmente aqueles que exigem tanto a permanência de títulos à frente do nome, ensinam sobre humildade, e banhados numa espécie de autocomiseração diplomática, enclausuram-se cada vez mais, levando não poucos pequeninos ao erro, e aprofundando-se cada vez mais no oceano da estupidez, carecem do conselho de Platão, uma vez que não se enformam nas diretrizes da Santa e Bendita Palavra de Deus. Mas pela misericórdia do criador, há esperança para a árvore.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Somos Hipócritas


É bem verdade que não somos muito bons em falarmos de nós mesmos, auto-avaliação e principalmente autocrítica não é definitivamente o nosso forte. 

Não pretendo desqualificar as excelentes habilidades que todos nós possuímos, tão pouco desconsiderar a dor de nossos erros, aos quais nos tem sido expostos constantemente pelo Espírito, ou ainda que pela moral, que seja, nas palavras de Descartes ela esta “impressa dentro do homem”, não obstante sejamos sinceros... Somos hipócritas!

Não se trata de fato, sobre como gostaríamos que tudo acontecesse... Não!  Entenda, não falo sobre o discurso expositivo e de auto-afirmação, encenativo e não poucas vezes apelativo, que destaca a maneira correta sobre como tudo deveria ser, sinceramente... É hipócrita demais! Não me refiro aos bons ensinamentos de alguns livros, e da tentativa dos educadores de ensinar o perfeito. Falo do nosso dia a dia, dos momentos e oportunidades diversas de expandir nossa hipocrisia em tudo que nos rodeia.

Não me refiro à hipocrisia intrinsicada nas mentes e corações cauterizados, não se trata da semelhança dos fariseus. Falo da derrocada da autenticidade cristã, na falácia de princípios e no sepultamento da ética. Por mais "ortodoxo" que seja o pensamento metódico de um determinado indivíduo, dependendo o momento favorável, ou a pessoa com quem se interage, todas as convicções, o discurso das boas maneiras e bons costumes, a integridade inviolável... Tudo desaparece, o momento fará o discurso e pronto. Ah! Sejamos honestos... Somos hipócritas!

Veja que não se trata de título ou posição, ou ainda conveniência de testemunho, sem exceção lhes asseguro... Todos somos hipócritas. Fingimos, mentimos e dissimulamos, tudo em nome do interesse próprio, egoísta e egocentrista. Somos hipócritas e somos hipócritas. Que Deus pela sua infinita misecórdia nos perdoe e nos ajude.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Redescubra


Estou redescobrindo alguns prazeres cotidianos: andar de bicicleta, sentir o vento no rosto, caminhar de mãos dadas, chorar, sofrer em oração, mas, tenho sorrido pouco. Sorrir mesmo sabe, sem preconceito, gargalhar alto e chorar de tanto rir, e que olhem feio... E daí?!

Estou redescobrindo que minhas preocupações não mudam nada. O dia continua tendo 24 horas, e nas palavras de Galileu “a terra ainda gira”, coisas continuam dando erradas e algumas têm dado certo. Enfim, nada mudou porque estou preocupado.

Quando chego em casa meu cão (Lutero), vem correndo ao meu encontro e depois de uma recepção calorosa quer brincar. Todo dia aprendo uma coisa nova com Lutero. Entendi que o importante é estar ao lado de quem você ama; os amigos, a família, o trabalho, o enamorar... Enfim...  Dedicar-se ao máximo, e, o resto dá-se um jeito. Não obstante, a Bíblia relata a importância de cuidar bem dos animais.
Deus é mesmo bom, porque não nos deixa saber tudo. Todo dia descobrimos como erramos no dia anterior, e isso é maravilhoso. Se sabendo isso já somos arrogantes, já imaginou se tudo nos fosse revelado?!

Gosto de pensar nos ensinamentos de Jesus, gosto também de buscar na memória homens comuns que considero sensacionais como humanos. Dá-me vontade de tomar mais um cappuccino e esboçar um leve sorriso. Creio que nos detalhes encontramos o Criador, e verdade é que isso basta. Gosto quando medito sobre a simplicidade da Santa e Bendita Palavra do Senhor, me ajuda nos meus erros, embora parafraseando Davi “estão sempre diante de mim”.

È bom se deleitar em eclesiastes e confirmar em momentos de introspecção que “tudo é vaidade”. Alguns quando me encontram me chamam de pastor, outros pelo carinho de rabi, alguns mais ortodoxos de doutor, mas, eu gosto mesmo quando me chamam de Val. É quem de fato sou e estou. Deus me livre de almejar algo além. A Ele toda glória e honra para sempre!

sábado, 10 de setembro de 2011

O Obreiro Aprovado


*II Tm 4.1 Conjuro-te diante de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar os vivos e os mortos, pela sua vinda e pelo seu reino;
2 prega a palavra, insta a tempo e fora de tempo, admoesta, repreende, exorta, com toda longanimidade e ensino.
3 Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos,
4 e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas.
5 Tu, porém, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério.

O Obreiro Aprovado é Chamado por Deus

*Gl 1.1 Paulo, apóstolo (não da parte dos homens, nem por intermédio de homem algum, mas sim por Jesus Cristo, e por Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos),

O Obreiro Aprovado Segue Orientações de Deus

*Gl 1.15 Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça,
16 revelar seu Filho em mim, para que eu o pregasse entre os gentios, não consultei carne e sangue,
17 nem subi a Jerusalém para estar com os que já antes de mim eram apóstolos, mas parti para a Arábia, e voltei outra vez a Damasco.

O Obreiro Aprovado não se Cala Perante o “dono” da Igreja

*III Jo 9 Escrevi alguma coisa à igreja; mas Diótrefes, que gosta de ter entre eles a primazia, não nos recebe.
10 Pelo que, se eu aí for, trarei à memória as obras que ele faz, proferindo contra nós palavras maliciosas; e, não contente com isto, ele não somente deixa de receber os irmãos, mas aos que os querem receber ele proíbe de o fazerem e ainda os exclui da igreja.

O Obreiro Aprovado não Negocia o seu Ministério

*Gl 1. 8 Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho além do que já vos pregamos, seja anátema.
9 Como antes temos dito, assim agora novamente o digo: Se alguém vos pregar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.
10 Pois busco eu agora o favor dos homens, ou o favor de Deus? ou procuro agradar aos homens? se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo.
11 Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens;
12 porque não o recebi de homem algum, nem me foi ensinado; mas o recebi por revelação de Jesus Cristo.
 
O Obreiro Aprovado não se Deixa Levar

*I Tm 5. 22 A ninguém imponhas precipitadamente as mãos, nem participes dos pecados alheios; conserva-te a ti mesmo puro. 

O Obreiro Aprovado Reconhece a Graça de Deus

*I Tm 1. 12 Dou graças àquele que me fortaleceu, a Cristo Jesus nosso Senhor, porque me julgou fiel, pondo-me no seu ministério,
13 ainda que outrora eu era blasfemador, perseguidor, e injuriador; mas alcancei misericórdia, porque o fiz por ignorância, na incredulidade;
14 e a graça de nosso Senhor superabundou com a fé e o amor que há em Cristo Jesus.

O Obreiro Aprovado Acata o Mandado de Deus

*I Tm 1.1 Paulo, apóstolo de Cristo Jesus, segundo o mandado de Deus, nosso Salvador, e de Cristo Jesus, esperança nossa.

O Obreiro Aprovado é Escolhido por Deus

*At 9. 15 Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido, para levar o meu nome perante os gentios, e os reis, e os filhos de Israel;
*Rm 1.1 Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus,
*Mc 3. 13 Depois subiu ao monte, e chamou a si os que ele mesmo queria; e vieram a ele.
14 Então designou doze para que estivessem com ele, e os mandasse a pregar;

O Obreiro Aprovado Busca a Capacidade de Deus

*II Co 3. 4 E é por Cristo que temos tal confiança em Deus;
5 não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus,
6 o qual também nos capacitou para sermos ministros dum novo pacto, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica.

O Obreiro Aprovado é Ungido por Deus

*II Co 1. 21 Mas aquele que nos confirma convosco em Cristo, e nos ungiu, é Deus, 

O Obreiro Aprovado é Obediente

*Rm 1. 5 pelo qual recebemos a graça e o apostolado, por amor do seu nome, para a obediência da fé entre todos os gentios,
6 entre os quais sois também vós chamados para serdes de Jesus Cristo.

domingo, 14 de agosto de 2011

Eu Maçom...


Sou maçom! É verdade, descobri que sou maçom. Não porque tenha ingressado na maçonaria, ou tenha interesse na mesma, mas, descobri através de alguns amigos que tenho encontrado, que os comentários a meu respeito envolvem tais afirmativas.

Após esboçar um leve sorriso, e declinar a falácia dos hipócritas, glorifiquei ao meu Deus e Rei, o Senhor Jesus, porque intrinsicado na Santa Palavra lembrei-me das palavras do Senhor: Bem-aventurados sereis quando vos cobrirem de maldições, vos perseguirem e, mentindo, disserem de vós todo o mal por minha causa. Rejubilai então e exultai, porque grande recompensa vos está reservada nos céus; visto que assim também perseguiram os profetas, que existiram antes de vós”.

Que os maçons não me entendam errado, nada tenho contra eles, nem contra os católicos, espíritas ou qualquer outra profissão de fé, crença ou filosofia. Se há, ou haverá um julgamento, não sou eu juiz de nada, fica isto a critério do Rei Jesus, afinal, o ensinamento de não julgar procede de Cristo, Ele nos ensinou. Apenas não coadunam o estar cristão com a maçonaria, não obstante, estou e estarei para sempre cristão, pois o sou por convicção, por entendimento, por determinação racional e espiritual.

Quanto aos hipócritas, aos miseráveis, aos linguarudos, aos fofoqueiros, aos mentirosos, aos infames, aos mesquinhos, aos demagogos, aos estúpidos...  Queimarão no lago de fogo e enxofre ao qual o livro do apocalipse se refere, pois são maus, têm o coração inundado de perversidade e objetivam suas vidas em falar mentiras da vida de outros. Disfarçam-se de cristãos, mas são lobos em pele de ovelhas.

Conheço maçons que são excelentes pessoas, assim como alguns católicos que são modelo de cristão, rotarianos dedicados e alguns espíritas que tem pago o preço do amor, felizmente conheço também alguns cristãos ao qual o mundo não é digno, infelizmente, porém, estão cada vez mais raro, quase extintos, pois o amor tem se esfriado do coração de quase todos. Que Deus nos ajude.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

De pastor para pastores


Sinceramente, sejamos francos então...  Só existe um Pastor de Ovelhas, e Ele tem em suas mãos marcas de cravos, refiro-me Aquele que é Santo, sim, ao único que é digno. Cristo não é simplesmente o Sumo Pastor, Ele é o Pastor das ovelhas, todo o rebanho é Dele.

Este posicionamento dos pastores de igreja (refiro- me evidentemente a institucional), que declaram que são pastores das ovelhas, e, portanto, se inclinam a controlar a vida dos evangélicos e até mesmo dos cristãos, por declararem que são responsáveis pela vida delas e blá, blá, blá... Por favor, vamos ler a Bíblia e aprender, afinal, já é tempo.

O único Pastor das ovelhas é Cristo, o único que tem autoridade para cumprir o Seu Soberano desejo na vida dos cristãos é Ele... O Santo, o dono do rebanho. Pastores congregacionais não são donos do rebanho, eles não mandam, não estão revestidos desta autoridade, somente Cristo tem este poder.

Os pastores congregacionais, foram escolhidos, refiro-me aos verdadeiros, para cuidar do rebanho do Pastor das ovelhas, é uma tarefa, uma missão. Mas, entenda bem, as ovelhas não são deles, foram simplesmente incumbidos por Cristo para cuidar delas. Entendam, os pastores congregacionais, não derramaram o sangue pelas ovelhas, eles não pagaram o preço da cruz, não venceram a morte, nem mesmo venceram o pecado!

Não confundam os papéis, não queiram subir ao altar, pois é lugar santo. Pastores congregacionais, cuidem bem das ovelhas do Pastor, um dia Ele cobrará seus atos, sua arrogância, sua altivez, sua soberba. Pastores congregacionais devem ser servos não senhores, devem trabalhar, acordar cedo, pagar o preço que todo cristão paga para ser cristão. Deixe o altar para Aquele que é digno, isto evidentemente, exclui todos os pastores congregacionais e qualquer outro. Somente o Santo Rei é digno, a Ele toda honra, glória e majestade.