sábado, 26 de fevereiro de 2011

O Fundamento do Avivamento


O fundamento do avivamento está firmado em três fatores indispensáveis: estudo da Bíblia, oração e arrependimento. Esses elementos "movem a mão de Deus" a favor do seu povo, não obstante, a hermenêutica confirma o pensamento. Esta afirmação é fiel e digna de crédito, porque o Senhor está comprometido com a sua Palavra. Ele prometeu ouvir nossas orações e não rejeita um coração contrito e arrependido. Não podemos, porém, separar esses três pontos, errando em um, tropeçamos em todos. Palavra sem oração pode resultar em intelectualismo e heresia. Oração sem arrependimento não produz efeito. Arrependimento, sem um confronto com a Palavra de Deus, é remorso, é outra coisa. È a Bíblia que nos orienta sobre as falhas e enganos do coração humano, enquanto o Espírito Santo nos convence deste axioma.

A hermenêutica nos lembra o texto registrado no segundo livro de crônicas capítulo sete, verso quatorze: "E se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra."

Dentre tantos textos explicativos sobre os pressupostos para um avivamento bíblico, o texto acima esta contextualmente contemporaneizado. O resultado do cumprimento e obediência a docência bíblica e a hermenêutica, causará naturalmente, o exercício do avivamento. Não se trata de uma busca de final de semana, seminários ou encontros tremendos. É um resultado intrínseco que acontece na individualidade do coração do cristão, sendo extrinsecado em forma de testemunho aparente.

Estritamente falando, avivamento é algo que acontece unicamente no meio do povo de Deus, nos cristãos. O Espírito Santo renova, reaviva e desperta o cristão sonolento. É revitalização onde já existe vida. Será mister, no entanto, eliminar as falácias exegéticas e atentar para a veracidade hermenêutica.

Quando há esse impacto da obra do Espírito de Deus na vida do cristão, os resultados imediatos do avivamento são sentidos pela sociedade. Floresce o senso inequívoco da presença de Deus. Não se trata de um compromisso efetuado com os demais, mas, de uma aliança estabelecida pelo constrangimento provocado, fruto do inexplicável amor de Deus.

Quem tem o poder de dar a vida é o Senhor. Avivar significa assoprar as brasas, remover as cinzas e ver surgir o fogo que aquece a alma e o coração do cristão. É o retorno ao primeiro amor, é voltar a se apaixonar, é objetivar o começar de novo. É o Senhor com o seu vento que faz as brasas queimarem revivendo a chama do amor e da fé. A obra não é nossa, é do Senhor. Tenhamos sempre esta consciência de que somos servos e que a obra é, e pertence ao Senhor.







Nenhum comentário:

Postar um comentário