quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Importa que “Eu” Cresça


Recentemente tomei uma atitude que me encheu de grande alegria, juntei todos os meus diplomas, títulos e placas de homenagem, embalei-os com grande desdenho e depositei em uma mala, que esta muito bem guardada, e com regozijo afirmo sem receio: Estou liberto da caverna.

Agregada à minha decisão ajustei-me a não usar qualquer título antes do meu nome, e exaustivamente, tenho tentado fazer com que aqueles que convivem comigo e as novas amizades entendam, melhor ainda se finalmente forem concebidos e como que se expulsos, saiam definitivamente da caverna e se adaptem as regras do novo Reino.

Doutor, pastor, professor, entre outros, são títulos secundários e nas palavras do apóstolo Paulo “as considero como esterco”. Não obstante, nem mesmo o nome que carregamos viverá conosco, pois foram escolhidos por homens e perecerá. 

João Batista deixou um legado eterno numa frase imortal aos ouvidos espirituais: “Importa que Ele cresça e eu diminua”. Reflita com a Bíblia. Haverá permissividade para que Cristo cresça com tantos títulos honoráveis? Quando certo cristão recebe o chamado convocatório de Deus para o ministério pastoral, convém que ele diminua, caso contrário, o chamado recebido não é de Deus. Inflado numa derrocada metafísica, perece do mau e doente não enxerga sua própria estultícia e declínio.

Analise a Bíblia quando o Senhor Jesus afirma que aquele que deseja ser o primeiro, deve ser o último. Como poderá ser último se exige que o título esteja à frente do seu nome? Esta condição o coloca acima dos demais, carece de ser e estar como favorito, o que jamais o fará ser último, digo, primeiro. Decorar a Santa Palavra, não significa compreendê-la, haja vista os fariseus, refiro-me aqui aos contemporâneos.

Paradoxalmente aqueles que exigem tanto a permanência de títulos à frente do nome, ensinam sobre humildade, e banhados numa espécie de autocomiseração diplomática, enclausuram-se cada vez mais, levando não poucos pequeninos ao erro, e aprofundando-se cada vez mais no oceano da estupidez, carecem do conselho de Platão, uma vez que não se enformam nas diretrizes da Santa e Bendita Palavra de Deus. Mas pela misericórdia do criador, há esperança para a árvore.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Somos Hipócritas


É bem verdade que não somos muito bons em falarmos de nós mesmos, auto-avaliação e principalmente autocrítica não é definitivamente o nosso forte. 

Não pretendo desqualificar as excelentes habilidades que todos nós possuímos, tão pouco desconsiderar a dor de nossos erros, aos quais nos tem sido expostos constantemente pelo Espírito, ou ainda que pela moral, que seja, nas palavras de Descartes ela esta “impressa dentro do homem”, não obstante sejamos sinceros... Somos hipócritas!

Não se trata de fato, sobre como gostaríamos que tudo acontecesse... Não!  Entenda, não falo sobre o discurso expositivo e de auto-afirmação, encenativo e não poucas vezes apelativo, que destaca a maneira correta sobre como tudo deveria ser, sinceramente... É hipócrita demais! Não me refiro aos bons ensinamentos de alguns livros, e da tentativa dos educadores de ensinar o perfeito. Falo do nosso dia a dia, dos momentos e oportunidades diversas de expandir nossa hipocrisia em tudo que nos rodeia.

Não me refiro à hipocrisia intrinsicada nas mentes e corações cauterizados, não se trata da semelhança dos fariseus. Falo da derrocada da autenticidade cristã, na falácia de princípios e no sepultamento da ética. Por mais "ortodoxo" que seja o pensamento metódico de um determinado indivíduo, dependendo o momento favorável, ou a pessoa com quem se interage, todas as convicções, o discurso das boas maneiras e bons costumes, a integridade inviolável... Tudo desaparece, o momento fará o discurso e pronto. Ah! Sejamos honestos... Somos hipócritas!

Veja que não se trata de título ou posição, ou ainda conveniência de testemunho, sem exceção lhes asseguro... Todos somos hipócritas. Fingimos, mentimos e dissimulamos, tudo em nome do interesse próprio, egoísta e egocentrista. Somos hipócritas e somos hipócritas. Que Deus pela sua infinita misecórdia nos perdoe e nos ajude.