domingo, 26 de fevereiro de 2012

Matando a Alegria


Tem aqueles dias que você esta realmente bem, iluminado e feliz. Começa o dia sabendo que tem muitos problemas a resolver e sabe que não será fácil, mas, naquele dia o fardo parece estar mais leve, suave. Sim, são aqueles momentos de felicidade que aparecem do nada e preenchem todo o nosso ser... É simplesmente maravilhoso e inexplicável, creio que seja um dom de Deus.

Estamos rodeados de circunstâncias difíceis, e se você em algum momento pensou em abandonar tudo e se entregar ao fracasso, não se desespere, a sua situação é a mesma de quase todos, afinal, não somos felizes apenas estamos. Não obstante, encontramos nos personagens bíblicos situações semelhantes como, por exemplo, Jó, que amaldiçoa o dia do seu nascimento, ou Jeremias que se lamenta pelos acontecimentos contrários, Elias que pede para morrer ou até mesmo João Batista que fraqueja sobre a verdade de Cristo.

O problema é que nestes momentos que você inexplicavelmente esta bem, muito bem, aparecem os abutres da fé para matar sua alegria, veja, não me refiro aos inimigos que tem se levantado contra sua vida, estes na verdade são os maiores motivadores, pois sem saber, nos dão forças para continuar a viver e provar que podemos fazer a diferença, mas, refiro-me a maior de todas as dores, trata-se do ataque daqueles que estão próximos, os que convivem conosco há anos, e incansavelmente nos colocam em xeque. Parentes, família, amigos, enfim... Aqueles que deveriam estar te dando força, mas estão sempre duvidando e com olhares e palavras almadiçoadoras matam sua alegria, por motivos nada explicáveis, é como se fosse o combustível destes zumbis. Geralmente são pessoas amargas, não querem estar com amigos, não tem prazer em dividir nada, preferem o casulo e se escondem atrás de suas frustrações e fracassos. 

Mas além da questão moral e do caráter que nos foi impresso pelo Criador, temos a graça e a misericórdia de Deus para nos ajudar nestes momentos, pois ser acusado do erro que é fato vá lá, mais quando puros... Nosso refúgio é a Santa e Bendita Palavra de Deus, porque somente ela traz a verdade. Parafraseando a canção de Martinho Lutero “castelo forte é o nosso Deus”.

Se o desejo é deixar tudo e recomeçar diferente, não se desespere e nem condene quem tem a dignidade e a coragem de abandonar o motivo que a faz sofrer. Seja forte para amar o possível, e, se houver possibilidade liberte-se.  Esteja o mais feliz possível, encontre-se e evite o desperdício com pessoas que não valem a pena, é o conselho de João na sua segunda carta.

Nossos dias de felicidade estão diminuindo, pois o mundo esta em derrocada, o que segundo Mateus capítulo 24 já nos foi anunciado, a maior surpresa  é que o amor que esta se esfriando de quase todos os corações, incluem os religiosos, as pessoas que aparentam bondade estão ficando amarguradas e más, sentem prazer em humilhar, magoar e torturar a tudo e a todos, não se importam com a palavra lançada ou com as acusações infundadas. São infelizes querendo espalhar infelicidade, semelhantes a Lúcifer, desejam para outros a mesma sina que vivem, intrinsicadas em raiz de amargura. São perdedores incomodados com pequenas conquistas alheias, e o fato de não amarem, fazem com que se incomodem com qualquer manifestação de amor e carinho que você possa receber, justamente pecam na sua maior falta. Não têm a capacidade de amar e não entendem o que isso significa, mais isso é outra coisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário